rfrfrffr.jpg
02/nov/2019

O Crossfit é uma modalidade de exercício que fica cada dia mais popular, principalmente porque trabalha simultaneamente força e resistência.

Mas quais os principais suplementos para o praticante de Crossfit?

1.Creatina Monoidratada
É um dos suplementos esportivos com mais evidências e dos mais estudados. Possui a característica de ser seguro, promover aumento de força e a massa muscular.

2.Beta alanina
A beta alanina funciona como um tampão intracelular, prevenindo a fadiga a partir da captura de íons de hidrogênio que são formados junto com aumento de ácido lático em exercícios de alta intensidade. Seu uso pode causar uma sensação de formigamento.

3.BCAA
Os aminoácidos de cadeia ramificada (BCAAs) possuem característica de promover a síntese muscular, principalmente em virtude do aminoácido leucina (BCAAs são compostos por três aminoácidos, leucina, isoleucina e valina). Podem ser usados antes ou durante o treino.

4.Ômega 3
Para manter a síntese muscular e ajudar a preservar a sua massa magra, o período de descanso e recuperação é tão importante quanto o período de treino. Os suplementos de ômega-3 (óleo de peixe) possuem dois ácidos graxos (EPA e DHA) que promovem redução do processo inflamatório pós-exercício, reduzindo a dor e acelera o processo de recuperação. Além disso há diversos estudos que comprovam seu benefício na cognição e na redução de risco de doenças cardiovasculares.

5.Whey Protein
As proteínas tem papel fundamental no processo de síntese e recuperação muscular. No caso do whey protein, que é a proteína derivada do soro do leite, a biodisponibilidade e a velocidade de absorção a tornam extremamente prática e benéfica para seu uso no pós-treino imediato.

Fontes:
-International Society of Sports Nutrition position stand: creatine supplementation and exercise. Journal of the International Society of Sports Nutrition, 2007

#crossfit #fitness #suplementos #suplementação #creatina #bcaa #omega3 #wheyprotein


WhatsApp-Image-2019-10-29-at-22.19.57-1200x1200.jpeg
30/out/2019

Sabe aquelas luzes de LED dos aparelhos? Ou o hábito de dormir com a TV do quarto ligada? Talvez essas duas coisas podem estar contribuindo para você ganhar peso.

Um estudo publicado no periódico JAMA buscou respostas sobre o quanto as luzes artificiais a noite podem influenciar o ganho de peso. A pesquisa foi realizada com mais de 43.000 mulheres e avaliou o ganho de peso ao longo de 1 ano.

As mulheres que referiam ter alguma fonte de luz dentro do quarto ou tv ligada enquanto dormiam tiveram ganho de até 5kgs de peso em um ano. O trabalho concluiu que a higienização do sono pode contribuir com a redução de risco de obesidade e ganho de peso.

Apesar de não ser a causa para obesidade, a exposição a luz artificial durante o sono claramente demonstrou efeitos nocivos no peso e devem ser evitadas.

Para mais informações sobre o estudo:
Park YM, White AJ, Jackson CL, Weinberg CR, Sandler DP. Association of Exposure to Artificial


WhatsApp-Image-2019-10-27-at-19.25.48-1200x1200.jpeg
30/out/2019

O termo janela anabólica se refere ao período imediatamente seguinte ao término da atividade física ou esporte, onde é considerado o período mais crítico para oferta de nutrientes visando restabelecer a reconstrução dos músculos e das fontes energéticas de glicogênio muscular.
Nesse período, considerado até 2 horas após a atividade física, o organismo apresenta um mecanismo de supercompensação desses processos de reconstrução muscular e de repleção de glicogênio, melhorando a composição corporal (favorecendo aumento da massa magra) e na performance em geral.
.

Gostou do conteúdo?
Curte, compartilhe com seus amigos e salve pra lembrar depois 😁

#janelaanabólica #muscular #musculacao #atividadefisica #saude #esporte


WhatsApp-Image-2019-10-24-at-20.58.46-1200x1200.jpeg
30/out/2019

Considerado precursor dos hormônios Androgênicos como Androstenediona, Testosterona, Dihidrotestosterona (DHT), 3 Alfa diol Glicurine e 3 Beta diol, e também substrato para formação de hormônios Estrogênicos como Estradiol, Estrona e Estriol, o DHEA pode ter efeitos no aumento da densidade óssea e da massa magra, redução da resistência insulínica, aumento da libido e sensação de bem estar e redução dos sintomas de ansiedade e depressão.
.
Benefícios do DHEA

PRINCIPAIS AÇÕES DO DHEA LIVRE
Promove crescimento neural
Reduz resistência a insulina
Aumenta o fluxo sanguíneo
Melhora função sexual
Aumenta imunidade celular
Aumenta densidade óssea
Aumenta força física, mais em mulheres.
Regula cortisol
Ativa receptores de serotonina
Inibe receptores de dopamina
Promove produção de Glutationa.

#dhea #imunidade #saude #hormonios #mulheres #ansiedade #depresao #logevidade


WhatsApp-Image-2019-10-23-at-11.32.31-1200x1200.jpeg
30/out/2019

O excesso de comida gera uma ressaca de insulina. É por isso que você adormece, suas articulações incham, você retém água e tem dificuldade em se concentrar.

Hidrate-se

O trio açúcar, sal e gordura parece ter muito mais sabor, mas ele acaba deixando você com aquela sensação de inchaço. Nessa hora, é a água que vai ajudar a acabar com isso, apesar de parecer ser justo o contrário.

Seja bom para o seu intestino

Prebióticos podem ser ainda mais eficazes para a digestão do que os probióticos. São considerados prebióticos os alimentos como o alho, a cebola, espargos e chicória.

Caminhe

Depois de uma festa, você provavelmente se sentirá lento e essa é uma consequência de uma ressaca de insulina. Lute contra o desejo de ficar preguiçoso, para que seu metabolismo permaneça em sua melhor forma para queimar tudo o que comeu.

Troque o café pelo chá verde

O chá verde tem menos calorias do que o café, e é um metabolizador conhecido para combater seu coma alimentar.

#dicas #dicasdesaude #alimentaçãosaudavel #longevidade #hidratação #chaverde #alimentacaosaudavel #bsb #drtemistoclesneto


WhatsApp-Image-2019-10-20-at-22.31.22-1200x1200.jpeg
30/out/2019

Embora os sintomas da menopausa variem de acordo com o equilíbrio hormonal individual, a maioria das mulheres sofre, porque seus corpos não produzem mais estrogênio e progesterona suficientes para seu adequado funcionamento. #Depressão#irritabilidade e lapsos de memória de curto prazo são queixas comuns da menopausa, além de #ondasdecalor com suores, dificuldades para dormir e ganho de peso. Na ausência de uma reposição hormonal racional, os problemas de saúde encontrados durante a menopausa podem afetar negativamente a mulher para o resto de sua vida. A partir dos anos de 2002-2004, os médicos limitavam o uso prolongado de medicamentos hormonais. A indicação era apenas para combater os sintomas da menopausa e o tempo de tratamento era cessado assim que a paciente relatava o alívio das sintomatologias frequentes. A progesterona e o estradiol não eram reconhecidos como substâncias chave para os processos vitais da fisiologia feminina. Transtornos relacionados à falta de estrogênio incluem : – glaucoma – demência
– perda de memória
– osteoporose
– fragilidade
– atrofia genital
– perda muscular e de força
– envelhecimento da pele, entre outros.
Muitas das doenças que foram consideradas consequências da idade, hoje, já se sabe que são secundárias à carência hormonal. A deficiência de estrogênio e progesterona pode, assim, ser caracterizada como um estado de envelhecimento acelerado.
.
Referência: Revista Essentia
.
#menopausa #longevidadesaudavel #longevidadehumana #saúde #modulacaohormonal


WhatsApp-Image-2019-10-15-at-16.05.10-1200x1200.jpeg
30/out/2019

Durante o Congresso Europeu sobre Obesidade, foi apresentada a descoberta de que um maior consumo de vitamina D por parte dos pais antes da concepção influencia o aumento do peso e da altura nos filhos aos 5 anos de idade.

A ingestão paterna de vitamina D foi positivamente associada à altura e o peso dos filhos aos 5 anos, independente das características maternas.

Suspeita-se que a nutrição do pai possa influenciar a qualidade e a função de suas células germinativas, que estão envolvidas na reprodução. Esse estudo demonstrou o impacto também do nível de nutrição paterna no peso e altura da prole, até então associada quase que exclusivamente ao estado nutricional materno.

Fonte: Congresso Europeu sobre Obesidade, 2017

#vitaminad #vitamina #pai #filhos #peso #longevidad #saude #love #bsb #brasilia #saude #medicinapreventiva


WhatsApp-Image-2019-10-14-at-05.44.35-1200x1200.jpeg
14/out/2019

A resposta a essa dúvida é a palavra moderação, que vale não só para as pessoas diabéticas mas para as pessoas em geral que buscam melhor saúde. Nenhuma pessoa pode comer qualquer alimento de forma livre, ilimitada.
As frutas são fontes de vitaminas, mas também de carboidrato: a frutose. Logo, para ter uma alimentação saudável é necessário balancear a qualidade e a quantidade dos alimentos.
Um grande problema muitas vezes associado as frutas é o conceito de que suco de frutas são uma opção saudável. Normalmente os sucos de frutas possuem quantidades muito maiores de frutose do que o que nosso organismo em condições normais (ou seja, se optasse por consumir a fruta em si) teria capacidade de ingerir.

As frutas e legumes são as principais fontes de vitaminas e micronutrientes do nosso organismo, sendo os grandes responsáveis por deixar nossa alimentação funcional. O consumo regular de porções de verduras e frutas são associados a menores riscos de doenças cardiovasculares e câncer. Entretanto não basta acrescentar à sua dieta de qualquer forma.
A alimentação e todos os seus componentes (as frutas inclusive) devem ser harmonizados com o restante da alimentação e adequado para as suas necessidades individuais. Ou seja fruta sim é saudável, mas no tipo correto, na quantidade correta e adequada para suas necessidades.

Para as pessoas diabéticas há ainda um cuidado importante na escolha das frutas, evitando o consumo de frutas com alto índice glicêmico, ou seja, as que elevam de maneira mais rápida a glicose no sangue.


WhatsApp-Image-2019-10-09-at-05.14.11-1200x1200.jpeg
09/out/2019

Se você está fora de forma, acompanhar seu peso com regularidade aliado a hábitos de vida saudáveis e acompanhamento médico com certeza fará com que você tenha bons resultados – recuperar a boa forma e principalmente a sua saúde.
.
Mas será que o peso somente, de forma isolada, pode traduzir fidedignamente o que está ocorrendo com sua composição corporal? Se você comparar o volume de um quilo de músculo e de um quilo de gordura verá que o volume da gordura é bem maior que o volume do músculo, apesar de ambos pesarem a mesma coisa.
.
Assim chegamos a conclusão de que somente o peso não nos diz muita coisa sobre como está sua composição corporal. O seu peso nada mais é do que “a força exercida sobre um corpo por ação da gravidade da terra contra uma superfície que impeça sua queda”.
.
Quando você sobe em uma balança o que ela indica é simplesmente essa “força” – expressa em kg – mas se por exemplo você pesa 70kg, a balança não vai te indicar como esses 70kg estão subdivididos.
.
E por que conhecer a composição corporal é importante? De uma maneira simplificada, sua massa muscular e sua massa de gordura tem comportamentos metabólicos totalmente distintos – o que influencia diretamente na sua capacidade de manter seu peso ideal ou de perder peso, caso você esteja acima do peso.
.
Ok, mas como podemos avaliar a composição corporal?

Há diversos métodos possíveis, variando em precisão, custo e comodidade para o paciente. O considerado mais preciso é o DEXA (double energy X-Ray) mas há o inconveniente da exposição a radiação o que impede o acompanhamento repetidas vezes da composição corporal. Outros métodos são o ultrassom e a bioimpedância. Atualmente o método não invasivo mais preciso, indolor e cômodo é a bioimpedância tetrapolar multifrequência. Em aproximadamente 1 minuto você realiza o exame e tem várias informações sobre sua composição corporal, como volume de água corporal, massa muscular, massa de gordura, massa mineral óssea, taxa metabólica basal, entre outras.

Além disso o exame permite segmentar a massa de gordura e massa muscular por segmentos corporais (braços, pernas e tronco – a temida gordura visceral, associada a maior risco de doenças cardiovasculares) – uma avaliação precisa e completa sobre sua composição.

O exame em si consiste em um equipamento que passa uma corrente elétrica de baixa amplitude e alta frequência (na verdade quanto maior o número de frequências mais precisa a leitura) e baseado na “resistência” de cada segmento corporal a essa corrente, temos a medida de que tipo de tecido (gordura, mineral ou músculo) se encontra. É um exame indolor e sem efeitos colaterais.


WhatsApp-Image-2019-10-06-at-23.39.22-1200x1200.jpeg
09/out/2019

O mês de outubro é o escolhido para campanhas de prevenção ao câncer de mama. O outubro rosa tem por objetivo despertar e lembrar as mulheres da importância do autoexame da mama, da realização de mamografia e de ultrassonografia das mamas. Mas esquecendo um pouco o diagnóstico precoce, quais as condições efetivamente relacionadas com aumento do risco ao câncer de mama?

Há fatores de risco não modificáveis (como a genética por exemplo) e fatores modificáveis, ou seja, aqueles que você mulher pode efetivamente fazer para reduzir o risco de câncer de mama.

Dos fatores de risco modificáveis a obesidade, sedentarismo, consumo regular de álcool e uso de hormônios sintéticos (anticoncepcionais e terapia de reposição hormonal) são algumas das condições de risco onde há mais evidências.
Obesidade: mulheres acima do peso ou obesas, principalmente se o ganho de peso foi na idade adulta ou logo após a menopausa.

Sedentárias: mulheres sedentárias possuem risco aumentado. Nos estudos, mulheres com atividade física a partir de 30 minutos (isso mesmo, só 30 minutos) por semana já tiveram um risco menor de câncer de mama no entanto a redução maior desse risco foi observada nas que se exercitaram moderadamente até 150 minutos por semana ou 75 minutos por semana em ritmo intenso.

Consumo de álcool: as mulheres com consumo de álcool de duas ou mais doses de bebida por dia tem 20% mais chances de câncer de mama do que as mulheres abstêmias.

Uso de hormônios sintéticos: uso de anticoncepcionais e terapia de reposição hormonal foram associados ao aumento do risco.

Alguns fatores de risco ainda não possuem tantas evidências, mas com certeza vale a pena conhecer:

Tabagismo – apesar de associado e fator de risco para quase todos os tipos de câncer conhecidos, as pesquisas mais antigas não evidenciavam relação entre tabagismo e câncer de mama. No entanto pesquisas mais recentes apontam para a direção da associação de risco entre tabagismo e câncer de mama – novas pesquisas estão em andamento para um “veredicto” final.

Uso de produtos de beleza e plásticos em geral – esses produtos contém substâncias que agem como se fossem hormônios no corpo da mulher, gerando “sinalizações” equivocadas. Ainda restam pesquisas mais abrangentes para a definição do risco desses produtos.

Alguns fatores de risco que são muitas vezes veiculados na internet são falsos. Dentro dessa categoria, de fatores de risco que são mitos, encontramos o uso de prótese de mama, uso de desodorante e uso constante de sutiã.

Nesse mês de outubro é fundamental o auto-exame e a rotina de exames de imagem, mas é igualmente importante você poder conhecer os fatores de risco que estão totalmente sobre seu controle. Gerenciando seu peso, atividade física, sono e dieta, você reduz a chance de câncer de mama e ainda fica muito mais saudável.

Fontes:
American Cancer Society


logob

Sou formado desde 2010 pela Universidade Federal de Rondônia e moro em Brasília há 8 anos após ter vindo servir o Exército Brasileiro. Sou Servidor da SES/DF há 6 anos na função de Médico de Família e Comunidade/Clínica Médica, sendo função atual na SES.

© 2018 Dr Temistocles Neto. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por: UPJÁ